5 mil máscaras cirúrgicas são descobertas na Catedral de Washington

Compartilhe

Cinco mil respiradores de partículas N95, as máscaras cirúrgicas mais utilizadas atualmente por profissionais de saúde no combate ao coronavírus, foram encontradas num depósito localizado na cripta da  Catedral Nacional de Washington na última quarta-feira (25).

Os itens foram descobertos por um marmorista que trabalhava no subsolo da igreja. Joe Alonso, funcionário que presta serviços ao templo por mais de 35 anos, estava ouvindo há algumas semanas, notícias a respeito do coronavírus e sobre a carência de equipamentos cirúrgicos, inclusive máscaras. 

Isso fez com que ele se lembrasse de uma compra feita pela catedral no ano de 2006, durante um surto de gripe aviária. Alonso resolveu checar e encontrou uma grande quantidade de caixas lacradas daqueles equipamentos depositadas em nichos de concreto de 2,7 m de lado, originalmente projetados para abrigar caixões.

Kevin Eckstrom, porta-voz da organização religiosa, afirmou que, uma vez que os equipamentos estavam com a data de validade expirada, fizeram uma consulta formal aos fabricantes que, de acordo com as orientações do Centro para Controle e Prevenção de Doenças, atestaram que as máscaras estavam seguras para uso. 

Fonte: GettyImagesFonte: GettyImages

Proteção aos carentes

A prioridade das autoridades religiosas foi colocar a maioria daqueles respiradores à disposição imediata das pessoas necessitadas. A tarefa de recuperação não foi, segundo Alonso, como nos filmes de Indiana Jones, rastejando sobre crânios, ossos e ratos. 

No entanto, os funcionários tiveram que se esgueirar pelas profundas aberturas para caixões utilizando máscaras contra a poeira. Eles formaram um tipo de cadeia humana e foram passando as caixas de mão em mão até tirar todas em dois dias. 

A catedral promoveu então a entrega de 3 mil máscaras N95 para o Hospital Universitário MedStar de Georgetown e outras 2 mil para o Hospital Nacional da Criança com o objetivo de proteger as equipes médicas responsáveis pelo combate direto à pandemia do coronavírus.

O site de notícias Business Insider relata que a organização católica não é a única a doar máscaras. Também o grupo financeiro Goldman Sachs doou 100 mil respiradores N95 para as cidades de Nova Iorque e Nova Jérsei. O Facebook doou 720 mil da sua reserva de emergência, e a Apple, 9 milhões de máscaras.