Neandertais de Portugal se alimentavam de focas e tubarões

Compartilhe

Se hoje em dia você não dispensa peixes, mariscos e demais frutos do mar, saiba que esse é um hábito que vem de muito antigamente: indício apontam que os neandertais, nossos “primos evolutivos” também tinham essa prática. Nova evidências foram encontradas em sítios arqueológicos que datam de 86 mil a 106 mil anos atrás, mostrando que os esses hominídeos primitivos também tinham o mar como fonte de provisão.

A descoberta foi feita em na Gruta Figueira Brava, perto de Setúbal, no sul de Portugal. Pesquisadores da Universidade de Barcelona conseguiram determinar que até 50% da dieta dos neandertais consistia do que eles coletavam do mar, como mexilhões, caranguejos, peixes, tubarões, enguias, golfinhos e focas. A outra metade tinha origem na caça de animais terrestres, como veados, cabras, cavalos e tartarugas.

Gruta da Figueira BravaGruta da Figueira Brava

Já os primeiros indícios que os nossos antepassados diretos se alimentavam do mar são de 160 mil anos atrás, encontrados no sul da África. Pesquisadores acreditam que o ácido graxo existente nos frutos do mar foi um ótimo estimulante cerebral e cognitivo dos primeiros Homo sapiens. Isso fez ele se desenvolver mais rapidamente do que outros hominídeos da época, como os neandertais e os denisovanos.

A nova descoberta também aponta que os neandertais de Portugal tinham um comportamento sistemático e organizado, semelhante ao dos humanos da Idade da Pedra, na África. Eles tinham um padrão de acúmulo e organização de conchas, chegando ao ponto de serem enterradas com elas. A criação de algumas estruturas monumentais mostra que o grupo de neandertais criou um significado para os restos do que o mar lhe fornecia.

Neandertais de Portugal se alimentavam de focas e tubarões via TecMundo